Skip links

Gravidez em tempos de pandemia

A gravidez é um período especial e delicado na vida da mulher, mas, em tempos de pandemia, os medos e anseios inerentes a este período ficam ampliados pelo clima de incerteza e contingências atuais. Estes sentimentos podem interferir negativamente com o que deveria ser um momento feliz e de tranquilidade. É nosso papel também, no Centro de Medicina Digital P5, acompanhar e desmistificar algumas questões.

  • Não descuide as consultas de rotina por receio de se expor ao ambiente hospitalar ou do centro de saúde. É importante manter a vigilância e é seguro fazê-lo desde que continue a respeitar as normas de segurança e higiene impostas. Os profissionais de saúde saberão como responder às suas necessidades de uma forma segura e com o equipamento de proteção adequado. Algumas destas consultas pré-natais poderão ainda ser realizadas no formato de teleconsulta, situação esta que lhe será comunicada aquando do agendamento das mesmas.
  • A gravidez não parece ser um fator de risco para ter Covid-19, nem há evidência que sugira um aumento na gravidade da doença. Os sintomas são geralmente ligeiros com indicação de isolamento no domicílio. As recomendações de confinamento, de proteção e higienização para o público em geral, aplicam-se igualmente às mulheres grávidas.
  • Se se questiona em relação à toma da vacina contra a COVID-19 durante a gravidez, é de referir que durante o desenvolvimento das vacinas atuais não foram recrutadas crianças ou grávidas, pelo que ainda não existem dados suficientes relativamente à vacinação em grávidas. Esta decisão deverá ser tomada pelo seu médico assistente, na perspetiva de risco-benefício e dependente da sua situação particular.
  • Se contrair Covid-19 durante a gravidez, a transmissão de mãe para filho é rara e existem poucos casos no mundo com esta situação documentada. Todas as grávidas são testadas antes de darem entrada na maternidade assim como o seu acompanhante para identificação de possíveis casos de portadores assintomáticos. No entanto, se durante a sua gravidez tiver sintomas sugestivos de Covid-19 deverá comunicar com a sua equipa de profissionais para um acompanhamento mais próximo e personalizado. No caso de apresentar sintomas graves e persistentes, deverá dirigir-se ao serviço de urgência mais próximo ou contatar os serviços de emergência. Se tem dúvidas relativamente à severidade dos sintomas ou ao local onde se deve dirigir poderá sempre optar pela linha de apoio do SNS24.
  • Se estiver positiva para a Covid-19 durante o parto, o trabalho de parto geralmente ocorre num bloco de partos especificamente criado para esta situação e com todas as condições necessárias. A experiência varia em função da unidade hospitalar, mas normalmente para diminuir o risco de contágio, não serão permitidas visitas presenciais. Ainda assim, as equipas de saúde estão sensíveis a este facto e facilitam a comunicação com a família através dos meios digitais.
  • O pós-parto enquanto portadora do vírus SARS-CoV-2 pode também ser gerador de questões e embora o risco de transmissão do vírus ao bebé durante a gravidez e parto seja reduzido, está indicado realizar testes ao recém-nascido para saber se poderá estar infetado. Tudo indica que o leite materno não transmite o vírus, pelo que o processo de amamentação deverá prosseguir normalmente.

 

 

No que toca à saúde mental durante a gravidez em tempos de pandemia, também é importante ter algumas sugestões em atenção:

  • Não se isole da sua rede de contatos como família e amigos. Use as redes sociais para manter este contato, converse sobre os seus receios com alguém em quem confie.
  • Mantenha um estilo de vida saudável. Mesmo em confinamento, procure manter os hábitos de alimentação saudável e assegure que mantém uma rotina de sono e descanso com momentos dedicados à atividade física (compatível que o tempo de gestação em que se encontra). Evite fumar ou consumir bebidas alcoólicas para lidar com possíveis níveis aumentados de ansiedade. Se for este o caso, procure ajuda junto da sua equipa de saúde.
  • Explore atividades que lhe proporcionem prazer e que normalmente não teria tempo para as praticar. Procure atividades que podem trazer mais tranquilidade à sua rotina, como ler, cozinhar, ver filmes ou documentários do seu interesse.
  • Certifique-se da fiabilidade das suas fontes de informação. Nem tudo o que é apresentado nas redes sociais é baseado em fontes de informação fidedigna. Procure sempre confirmar junto de autoridades competentes ou valide as suas dúvidas com profissionais certificados.
  • Tente recorrer aos seus próprios mecanismos para lidar com o stress e ansiedade. Se, porventura, se sente incapaz de gerir estas emoções por si só, procure ajuda. Contacte o seu médico de família ou o serviço de apoio que costuma recorrer em casos de necessidade.

Fabiana Lima
Enfermeira Coordenadora

Leave a comment