Skip links

Dia Mundial da Doença de Parkinson

Dia 11 de Abril comemora-se o Dia Mundial da Doença de Parkinson. É importante que esta data seja assinada para que se possa captar a atenção para esta doença e alertar para a importância do seu reconhecimento e diagnóstico, e para que o tratamento adequado proporcione aos doentes a melhor qualidade de vida possível.

O que é a doença de Parkinson?

A doença de Parkinson é uma doença do cérebro, que tem impacto nos nossos movimentos. Não são ainda conhecidos os fatores que levam ao seu desenvolvimento, mas sabe-se que em menos de 10% dos casos é uma doença hereditária.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da Doença de Parkinson é clínico, ou seja, é através dos sintomas e dos sinais que o neurologista observa na consulta que é possível diagnosticar esta doença.

Quais são os sintomas?

O sintoma cardinal é a bradicinesia que corresponde a uma lentidão de movimentos que passam também a ser pouco amplos. Geralmente os doentes referem uma dificuldade em tarefas do dia a dia: demoram mais tempo a desfazer a barba, têm dificuldade a maquilhar-se, em abotoar as camisas, caminham mais devagar e custa-lhes entrar ou sair do carro.  Além da bradicinesia, têm de estar presentes um de dois outros sinais: tremor ou rigidez. O tremor surge em 2/3 dos doentes, é sobretudo um tremor de repouso – ou seja, nota-se mais quando o doente não está a fazer uma atividade. Os sintomas da doença de Parkinson são assimétricos, isto é, um lado do corpo está mais afetado que o outro.

Além dos sintomas motores, reconhece-se cada vez mais o impacto dos sintomas não motores na qualidade de vida dos doentes, particularmente nas fases mais avançadas da doença. Entre eles destacam-se a ansiedade e depressão, os sintomas urinários, a dor e as alterações do sono.

Qual é o tratamento?

Infelizmente a doença de Parkinson não tem, ainda, cura. A base do tratamento passa pelos medicamentos que temos atualmente disponíveis para tratar os sintomas da doença. O objetivo do tratamento é melhorar a qualidade de vida dos doentes e aliviar os sintomas. Nas fases mais avançadas da doença, além da medicação, passam a estar disponíveis outras opções terapêuticas mais invasivas, que ajudam a controlar os sintomas.

Cada vez conhecemos mais sobre a doença. Cada vez se estudam mais opções terapêuticas, e nos últimos anos têm surgido novos medicamentos, e o futuro do tratamento da doença de Parkinson parece muito promissor.

O tratamento da doença é cada vez mais multidisciplinar, passando pelo exercício físico, e muitas vezes pela terapia da fala e fisioterapia, e desenvolvem-se dispositivos eletrónicos que podem minimizar alguns sintomas.

Há também alguma investigação acerca do potencial benefício da música na Doença de Parkinson. Propusemo-nos a avaliar o impacto que a participação numa orquestra terá em termos motores e de qualidade de vida dos doentes com Parkinson. Vai ser organizada uma orquestra com doentes de Parkinson, com a orientação de um músico profissional, e já está previsto um concerto para dia 8 de Outubro no auditório Vita.  Assim, se tem Doença de Parkinson ou se conhece alguém com esta doença, desafiamo-lo a inscrever-se nesta orquestra até dia 15 de Abril através do e-mail orquestra.parkinsound@gmail.com. Vamos tentar melhorar o conhecimento da doença participando numa iniciativa bonita e criativa!

Dra. Ana Margarida Rodrigues

Médica Neurologista do Hospital de Braga

Membro da Sociedade Portuguesa de Doenças do Movimento

Leave a comment